terça-feira, 6 de setembro de 2016

Deixar pai e mãe - evitando conflitos no casamento

convivendo com sogros

"Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne." Gênesis 2:24

Esse talvez seja um dos versículos que os cônjuges só passam a recitá-lo constantemente após o casamento quando percebem que seu marido ou esposa mantém ainda uma ligação excessiva com os pais após o casamento.

Esse é um assunto bastante delicado e existe uma linha tênue que precisa ser bem visualizada para que possamos desfrutar da paz em nosso casamento e no relacionamento com nossos sogros.

A primeira coisa a observarmos é que Deus disse exatamente o que queria dizer em Gênesis 2.24 - deixe pai e mãe e una-se a sua mulher. O assunto foi mencionado por 3 vezes no Novo Testamento: Mateus 19.4, Marcos 10.7 e Efésios 5.31
As palavras hebraicas usadas em Gênesis 2:24 para "o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher," significa "a abandonar a dependência", "deixar para trás", "soltar", e "solte."
Isso inclui não apenas abandonar a dependência emocional mas financeira também.

O psicólogo Dan Allender diz no livro Intimate Allies (aliados íntimos) que "a incapacidade de mudar a lealdade dos pais para os cônjuges é uma questão central em quase todo o conflito conjugal."

Esse comportamento exige maturidade para deixar a dependência dos pais e assumir a responsabilidade pela família que está constituindo. O versículo de Efésios 5.23 mostra que o marido é o cabeça da esposa. Na ordem de Deus o marido é o cabeça, responsável pela esposa e filhos. Então se você casa e continua morando na casa dos seus pais, haverá um problema hierárquico (duas cabeças - seu pai e seu marido). Por este motivo torna-se inviável, e até perigoso para o casamento, morar com os pais. Quem vai ser o cabeça do lar?
Essa situação também acaba roubando o marido do seu potencial de liderança da família pois ele fica impedido de liderar na casa do sogro.
Já no caso do homem ele não pode ser tanto um filho como um marido independente na mesma casa.

Os casais precisam entender que nenhuma relação na terra, com exceção é claro do relacionamento com Cristo, é mais importante do que a relação com o cônjuge.

Agora preste atenção:  deixar seus pais não significa que você deixa definitivamente de ter um bom relacionamento com eles.

Você pode honrar seus pais e também colher benefícios do relacionamento com eles, buscando sua sabedoria sobre determinadas questões. Mas isso deve acontecer apenas quando  você pedir  para que ofereçam os seus conhecimentos, deixe claro que está procurando informações e conselhos, e não abrindo mão do seu direito de tomar as decisões finais junto com seu cônjuge. Não permita que os pais inocentemente (ou não) criem uma brecha entre você e seu cônjuge. Alguns pais podem tentar manipular e controlar seus filhos.

Se você tem tido dificuldades para deixar seus pais ou essa é a dificuldade do seu cônjuge, tenha calma, comece apresentando a questão a Deus em oração e busque conversar com seu cônjuge sobre o assunto. Isso é uma mudança que muitas vezes acontece lentamente principalmente se a dependência aos pais era muito grande antes do casamento.

Assista nosso vídeo: Relacionamento com os parentes


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.