quinta-feira, 18 de abril de 2019

Entregar a Deus ou manter o controle?


Estamos às vésperas de um feriadão e a postagem de hoje é aquele estilo de conversa entre amigas. Então pegue sua xícara de café e vem conversar comigo. 

Ontem tirei um tempo com meu esposo par ir ao cinema, coisa que fazemos raríssimas vezes, afinal convenhamos que o que tem sido oferecido como conteúdo não é o que se pode considerar algo que valha assistir para nós que desejamos viver de maneira a honrarmos a Deus. Porém desta vez foi diferente eu estava animadíssima para conferir o filme em questão pois antes mesmo de sua estreia ele já estava sendo bem recomendado por algumas pessoas que considero muito, como foi o caso de Helena Tanure. O filme em questão é Superação: o milagre da fé. 

Fui com aquela intenção de me divertir, relaxar, mas principalmente ser edificada de alguma forma. E que lições podemos extrair deste filme, porém amiga o que desejo compartilhar com você é o que mais causou impacto em meu coração, em um dado momento do filme é possível observar claramente um dilema que muitas de nós vivemos: entregar a Deus uma situação ou reter na tentativa de manter o controle. 

Isso falou muito forte ao meu coração pois sou alguém que gosta de manter o controle, agora um pouco menos depois do que Deus tem me feito aprender por uma escola não tão fácil de atravessar. 
Mas essa é justamente a questão. Quando desejamos tomar as coisas no controle estamos afirmando que nosso Deus não sabe como geri-las e isso é tão estúpido, pois certamente sabemos, ainda que lá no íntimo, que não somos capazes de controlar absolutamente nada. E dessa forma nosso pai amoroso precisa nos conduzir por algumas fornalhas para nos mostrar quão dependente dele somos e que realmente não estamos ou poderemos estar no controle. 

Se você já se viu diante de uma situação que não pode alterar sabe do que estou falando, vemos aquela montanha diante de nós e desejamos bolar um plano, uma estratégia, um jeito de tirá-la do nosso caminho mas chega um ponto que percebemos que por maiores ou melhores que sejam nossos esforços não somos capazes. Muitas vezes é a montanha da enfermidade, seja em nossa própria vida ou na vida de quem amamos, outras vezes é a perda inesperada de um ente querido enfim elas vão estar no caminho da trajetória da nossa vida, mas o que realmente importa é como iremos lidar com elas. 

Vamos nos render a Deus, entregando a Ele completa e inteiramente a situação ou vamos continuar a reter a montanha na falsa esperança que temos o controle da situação? 

Querida amiga que aprendamos o caminho da entrega e da rendição, nosso Pai de amor sabe o que precisamos e sabe o quanto podemos suportar nas fornalhas da vida. Ele também sabe que cada adversidade, cada montanha, são instrumentos poderosos para nosso refinamento e para que nos tornemos mais semelhantes a Cristo. 

A entrega a Ele não apenas colocará as circunstâncias na perspectiva correta como será extremamente libertador. Experimente! 

Ah e se ainda não assistiu ao filme aproveite o feriadão e veja em qual cinema está em cartaz na sua cidade. Deus abençoe sua vida e um excelente feriado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.

Postagens relacionadas