Entendendo a privacidade e a individualidade no casamento


O casamento revela uma nova fase de convivência que para muitos é desconhecida. Veja bem, imagine um homem que é filho único casando-se com uma mulher que tem mais 5 irmãos. Enquanto ela passou a vida dividindo brinquedos, quarto e roupas, seu futuro marido teve tudo para si. Ela dificilmente conheceu momentos de silêncio em casa enquanto ele passava horas sem ouvir um ruído sequer. 

Agora que estão casados alguns ajustes precisarão acontecer se eles desejam que o casamento funcione; e é exatamente aqui que precisamos entender que o casamento não deve acabar com a individualidade e sim com a privacidade. 

Veja como o dicionário informal define individualidade e privacidade para que possamos continuar nossa conversa: 

Individualidade pode ser definida como o conjunto de atributos que constituem a originalidade, a unicidade de uma criatura, e que a distinguem de outras tantas; é o somatório das características inerentes à alma humana.  
Privacidade É a habilidade de uma pessoa em controlar a exposição e a disponibilidade de informações acerca de si. 

Consegue perceber a diferença entre elas e como podem afetar negativamente se não forem respeitadas? 

Não se pode defender a privacidade no casamento. Mas por quê? Você pode estar se perguntando. Por que a privacidade diz respeito a controlar as informações sobre si mesmo em relação ao outro e no casamento isso é a chave para a separação. Não pode haver segredos no casamento, ele é feito de transparência e manter segredos sabota a intimidade do casal. Não vou me estender muito sobre a privacidade porque já escrevi um artigo sobre ela aqui no Blog (para ler mais clique aqui) 

Já a individualidade deve ser respeitada com o mesmo fim de manter o casamento florescendo e não caminhando para a destruição. Como vimos a individualidade está relacionada com quem você é, seus próprios interesses, talentos ou hobbies. É sobre essa individualidade que estamos falando .

A individualidade quando preservada nestes aspectos pode impedir que os casais se tornem colegas de quarto, o que é uma receita para o divórcio. Não é porque vocês agora estão casados que precisam gostar e fazer as mesmas coisas na verdade foi por sua individualidade que seu cônjuge casou com você. Suas preferências e características únicas que a diferem da maioria. 

Se o seu cônjuge gosta mais de ter um tempo sozinho para ler um bom livro, desenhar, escrever entre outras atividades mais sossegadas ofereça esse presente a ele como forma de amor e respeito por sua individualidade. 

O casamento bem-sucedido exige respeito por essa individualidade sem que nenhum dos cônjuges tente sufocar o outro e quem ele realmente é. 

Ficou alguma dúvida, deseja aconselhamento? Escreva para ministerioenlace@hotmail.com.br ou utilize o formulário fale conosco no topo do Blog.

Deus abençoe sua vida e seu casamento 

Comentários

  1. Sempre nos mostrando como agir melhor no nosso casamento. ..muito obrigada minha amiga

    ResponderExcluir
  2. uma pergunta: vc acha que um dos conjuges pode exigir que o esposo/a mostre todas as conversas do seu celular para provar que é fiel?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exigência não faz parte de um casamento firmado em Jesus. Se um dos cônjuges está duvidando da fidelidade do outro é necessário que sentem para conversar sobre os motivos dessas desconfianças. Em um relacionamento de amor e respeito não precisamos exigir nada, se o celular tem causado discórdia tem que se descobrir o motivo. Não acredito que o celular, seja do marido ou da esposa, deva ter senha que o outro não saiba. Vou usar meu exemplo em meu casamento, tanto meu esposo como eu temos acesso ao celular um do outro, sem senhas, porém nenhum de nós vive "bisbilhotando" o celular do outro porque existe confiança e respeito.

      Excluir

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.

Postagens relacionadas