terça-feira, 4 de julho de 2017

O casamento muda tudo?


Muitos casamentos estão em crise porque o casal não conseguiu identificar a diferença entre viver e conviver.
Muitas mulheres e homens também se perguntam:

"Por que era tão fácil e bom no tempo de namoro e noivado, mas após o casamento tudo parece desmoronar?"

A reposta para essa pergunta pode ser a questão da convivência.

Por mais tempo que um casal tenha de namoro e noivado, esse tempo não tem como preparar o casal inteiramente para a real convivência do casamento.

Para viver basta existir, ter vida, estar com vida. Já para conviver é preciso cuidar da alma, do caráter, ter sabedoria, sensibilidade, aprender a lidar com as diferenças, afastar o egoísmo. É doar-se.

E é aí que se apresenta o grande desafio do casamento.

O namoro e o noivado é um período de troca de vivências onde o casal busca conversar bastante (ou pelo menos deveria) para conhecer mais um ao outro. Esse processo é importante e certamente ajudará no casamento.

Com o casamento no entanto, o casal passará a compartilhar não mais apenas vivências mas a convivência. Dormir e acordar todos os dias com a mesma pessoa nos dias bons e não tão bons. Os hábitos que não conhecíamos durante o namoro começarão a aparecer com a convivência. O mal humor matinal, o deixar a toalha molhada sobre a cama etc.
e é exatamente nesse ponto que se faz necessário desenvolver as habilidades para uma boa convivência: a dedicação,, o respeito, a tolerância a confiança.

Também vale ressaltar que uma das maneiras mais eficazes de continuarmos o processo de crescimento de vivência e convivência no casamento é investir sempre no namoro, lembrando de oferecer ao outro tudo que você procurava oferecer no período em que namoravam.

Então querido casal não permita que a convivência os assuste ou separe mas torne a convivência um fator motivacional em seu casamento tornando-o cada dia uma nova aventura a ser compartilhada a dois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.