terça-feira, 20 de setembro de 2016

Para onde foi minha privacidade?


Não são poucos os casais que chegam para aconselhamento alegando terem perdido a privacidade após o casamento. Então hoje divido com você algumas questões que precisam ser esclarecidas sobre casamento e privacidade.

Primeiramente vamos definir o que é privacidade.

Segundo a Wikipedia, privacidade (calcado no inglês privacy) é o direito à reserva de informações pessoais e da própria vida privada: the right to be let alone (literalmente "o direito de ser deixado em paz").

Observando este conceito podemos facilmente analisar a privacidade no casamento.
Se um dos conceitos de privacidade é o direito à reserva de informações pessoais e da própria vida privada, ela chega ao fim com o casamento. Este tipo de privacidade não condiz mas a vida de casados.

Observe o que diz a Bíblia em Mateus 19. 5,6 "...‘Por este motivo, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne’? Sendo assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne..."

Se com o casamento nos tornamos uma só carne não existe mais duas pessoas, mas dois tornam-se um. Por este motivo a privacidade em alguns aspectos para de existir.
Principalmente hoje com o avanço tecnológico e a chegada da internet, muitos casais brigam por não poderem acessar as redes sociais um do outro e pelo fato  do cônjuge não lhe fornecer a senha do e-mail etc.

Analise comigo, porque não permitir que seu cônjuge saiba suas senhas de redes sociais ou e-mail? Uma frase dita por Renato Cardoso coautor do livro Casamento Blindado é bastante esclarecedora “Não existe privacidade no casamento. E se você esconde alguma coisa é porque você ou não entende nada de casamento ou tem algo a temer.”

Se não temos nada a esconder porque insistir em manter a privacidade neste aspecto?
Outro ponto é querer sair sem dar satisfação ao cônjuge para onde vai ou que horas volta, meus amados este comportamento não faz parte de um relacionamento a dois. Isto é para vida de solteiro e que mora sozinho(a).

Para o casamento funcionar e ser bem sucedido precisamos honrar nosso cônjuge e não manter uma privacidade que na verdade quer ocultar algo.

Mas há um outro ponto da privacidade que eu particularmente acredito que deva ser mantido e é o the right to be let alone (literalmente "o direito de ser deixado sozinho").

Acredito, e esta é minha opinião, que algumas situações devam ser mantidas privadas após o casamento. Como por exemplo, ir ao banheiro e higiene bucal. Para muitos casais isto é normal e não afeta seu relacionamento mas segundo a psicóloga Nancy Erlach Danonisto tal comportamento pode prejudicar o relacionamento:

 "Creio que o excesso de liberdade nestes casos tira a magia e o romantismo do relacionamento, pois existe uma diferença significativa em saber que temos um companheiro vaidoso, cuidadoso, cheiroso e ver a pessoa em seus momentos privados e mais íntimos."

É assim que eu acredito, e esta é minha maneira de observar a privacidade no casamento onde ela deve ou não estar presente.

E você o que acha, qual a sua opinião sobre a privacidade no casamento? Deixe sua opinião aqui nos comentários e enriqueça nosso conteúdo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.