terça-feira, 25 de agosto de 2015

Dicas de finanças para Casais


Um dos assuntos que tenho pesquisado muito ultimamente é sobre finanças, afinal estamos vivendo em tempos de economia instável, mas acredito que é sempre bom aprender a administrarmos nosso dinheiro independente da época e quando nos casamos isso fica um pouco mais difícil. Li uma excelente matéria na Universidade da Bíblia e vou compartilhá-la aqui com você. Espero que te abençoe tanto quanto a mim.

O maior detonador de brigas entre casais são as dificuldades financeiras. Faltou dinheiro para pagar as contas? A culpa recai sobre o parceiro esbanjador, que não quer nem saber se tem saldo para fazer alguma compra. Sobrou dinheiro no fim do mês? Em vez de comemorar, o casal arranja outra briga sobre como gastar. Porque o dinheiro costuma ser a principal fonte de conflitos no casamento? Qual o real problema com o dinheiro? A falta? O excesso? Nenhum dos dois!

1.    O grande problema com o dinheiro é a sua relação com ele!
Que atitude você tem com o dinheiro? De que maneira você lida com ele? Você manda no seu dinheiro ou o seu dinheiro manda em você?
Erro nº 1: Alguns casais vivem como se a acumulação de riquezas e a aquisição de bens materiais fossem as coisas mais importantes da vida! É a crise do ter (Lc 12:15).
A verdadeira satisfação não pode ser encontrada no dinheiro, mas em relacionamentos de amor com Deus, cônjuge, filhos e amigos. Esses são os recursos mais valiosos! O dinheiro pode ser usado para proporcionar mais conforto, mas é incapaz de garantir um casamento bem sucedido.
O desejo de obter mais posses materiais não é nocivo. O problema é quando permitimos que isso se torne o foco de nossas vidas (1Tm 6:10)!

Erro nº 2: Alguns casais tratam as finanças no casamento como algo individual e pessoal (Ef 5:31)!
Tudo é dos dois! Não existe “meu dinheiro”, “seu dinheiro”, mas “nosso dinheiro”! Cada um assume do outro os recursos e as dívidas. Casamento é unidade principalmente nas finanças (Ec 4:9).
Dessa forma, nenhum dos dois terá controle exclusivo das finanças. Administraremos juntos nossos recursos como uma equipe usando o melhor de nossa sabedoria e experiências anteriores.
Resumindo:
  • O nosso relacionamento é mais importante que o montante de dinheiro que possuímos!
  • Tudo quanto possuímos pertence a ambos.
2.    Saiba que o trabalho é importante! 
Seja em casa ou na rua, o trabalho é sagrado! A preguiça na bíblia é vista como pecado (Pv 6:6-11, 13:4). Não devemos subestimar a importância do trabalho sem remuneração nas finanças do casal.
Não importa se os dois ou se só um possui emprego remunerado. Ambos devem trabalhar em beneficio da família!
Trabalhe de forma a agradar a Deus! Confie em Deus, não nos recursos! Ainda que digam que da forma desonesta ganhe mais, ouse confiar em Deus e permanecer fiel! Deus vai te honrar!
3.    Seja fiel em dízimos e ofertas!
Só há 3 coisas que se podem fazer com o dinheiro: doar, economizar, ou gastar. Não podemos e nem devemos doar todo o nosso dinheiro, pois devemos suprir nossas necessidades básicas. De igual modo não podemos “esquecer” da fidelidade a Deus! A entrega dos dízimos e ofertas são mais que mandamentos bíblicos, são provas de gratidão sincera a Deus! Ninguém é capaz de doar mais que Deus!
Desde o antigo testamento os dízimos e ofertas eram administrados pelos sacerdotes e levitas do templo. Hoje deve-se seguir o padrão e entregar na igreja que congrega. As ofertas podem ser de qualquer valor, pois é algo voluntario. Os dízimos são estipulados na própria bíblia como a décima parte de tudo quanto vem ate nós (Ml 3:6-10).
Enquanto que no dízimo você devolve, nas ofertas você dá. Nos dízimos você não escolhe o valor, é Deus quem define. Somente nas ofertas você escolhe quanto quer dar. Você só começa de fato a dar a Deus quando oferta a Ele. Os dízimos e as ofertas não são devolvidos e dadas a igreja, mas a Deus através da igreja.
4.    Seja sábio: economize!

Economizar é sinal de sabedoria! Agir sem desperdícios, prudência, é coisa de sábio, não de tolo. Economizar uma porcentagem de sua renda com regularidade te dá garantia no caso de uma emergência e a satisfação de ser bom administrador (Pv 21:20, 22:3).
Não economize o que sobra, mas um percentual fixo. Veja o exemplo de José no Egito que direcionado por Deus estipulou um percentual para guardar. Não se deixe levar por uma sociedade consumista. As pessoas não são ensinadas a economizar. Seja sábio: economize!
5.    Viva de acordo com seus recursos!
Não gaste o dinheiro que você não tem! Cuidado com o cartão de credito! O problema não é possuí-lo, mas usá-lo para comprar coisas que você não pode pagar! Os economistas recomendam que o casal possua apenas um cartão para os dois. De preferência aquele que possui promoção de bônus, milhas, com o maior limite e histórico. Os cartões de credito podem ser bons agentes na economia quando as pessoas pagam suas faturas completamente no dia do prazo sem desperdiçar dinheiro com juros altos.
Tenha cuidado e sabedoria com certas aquisições! Exemplo de aquisição inteligente: uma casa, que normalmente se valoriza. Entretanto nem sempre adquirir imóveis é o melhor plano de investimento. A paciência é sinal de sabedoria. É preciso sabedoria para esperar ate ter o dinheiro para fazer certas aquisições.
Detalhe: inclua no orçamento uma quantia fixa para o casal poder gastar com o que quiser sem precisar prestar conta com o outro!
  • Os casais que vivem de acordo com seus recursos se livram de estresse financeiro e ao mesmo tempo ensinam seus filhos lições preciosas.
Tarefa de casa: converse com seu cônjuge! Sentem-se os dois na mesa e com uma caneta e papel anotem todas as suas despesas. Faça um planejamento! Faça o seu orçamento domestico em conjunto.
Anote tudo! Até as mínimas coisas que você gasta.

Boa sorte e que Deus te abençoe! Pr. Jeann J.( universidadedabiblia.com.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.