quinta-feira, 20 de julho de 2017

Por que orar?

Olá amada, como vai? Espero que tudo esteja bem.

Você já se fez a pergunta que deu título a nossa postagem de hoje?

Por que oramos?

Muitas são as respostas, mas a mais comum é: oramos por alguma necessidade nossa ou de alguém que conhecemos, e por mais que achemos que esse não é o nosso caso se observamos atentamente nossas orações mais de 50% do seu conteúdo são pedidos.
Nas últimas Quintas, temos conversado aqui sobre nossa vida de oração e como é difícil torná-la um hábito. Mas a grande questão que me fiz hoje é: por que orar?

Essa talvez seja uma questão tão séria e que respondê-la pode mudar nossa perspectiva sobre nossa vida de oração.

A grande questão, é que quando fazemos da oração algo que só acontece quando estamos passando por uma dificuldade ou para pedir algo a Deus, seja para nós ou para outra pessoa, estamos tratando a Deus quase como um gênio da lâmpada que está ali para atender nossos desejos e quando os mesmos não são satisfeitos ficamos frustradas, desapontadas, desanimadas e chegamos a conclusão que a oração para nós não funciona.

Veja bem, não é que Deus não deseje ouvir nossas necessidades ou se aborreça com nossos pedidos é que a oração é relacionamento. Isso é o mais importante.

"A oração é uma forma de conscientizar e experimentar a presença e o caráter de Deus. ... Através da oração, nos encontramos e nos conectamos com Deus." Wycliff.org

Talvez se conseguirmos aprender esta verdade isso possa literalmente mudar nossa vida de oração. Se começarmos a tratar nossos momentos com Deus como mais do que uma lista de pedidos para que Ele nos conceda isto ou aquilo ou concerte isto ou aquilo, nossas orações passem a ter um sentido maior e mais eficaz. Volto a afirmar, Deus não se incomoda ou se aborrece com nossas petições e súplicas Ele até nos ensina a fazer assim:

"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças." Fp 4.6

Mas a grande questão é que devemos estar mais desejosas da presença dEle do que nos aproximarmos com uma lista de petições.

Desejar a presença. Nada mais.

É nesse ponto que nossas petições tornam-se questões secundárias e ainda mais, isso nos prepara para compreendermos a perfeita vontade de Deus para nossos assuntos. Uma das declarações de Jesus em sua mais angustiante oração fala de relacionamento:

""Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres". Mateus 26:39

Somente quando temos um relacionamento que excede o conseguir o que queremos através da oração é que conseguiremos fazer uma oração como esta.

Como você responde a pergunta de hoje: por que você ora?

Espero minha amiga que juntas possamos desenvolver a cada dia mais um relacionamento íntimo e profundo com o Pai para que experimentemos mais de sua presença e não apenas de suas dádivas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.