terça-feira, 26 de julho de 2016

Ouça a advertência.


Existe algo extremamente profundo na união que acontece no casamento quando homem e mulher tornam-se uma só carne. É algo muito maior que a união de corpos, é  a união de vida e propósito - dois tornam-se um (Gn 2.24)

Por essa razão devemos ser mais sensíveis ao que diz o nosso cônjuge.

Em muitas situações Deus usa a sensibilidade da esposa ou do marido sobre determinada situação para alertar o seu cônjuge quanto ao perigo de envolver-se em determinadas questões ou com determinadas pessoas, mas infelizmente na maioria das vezes ignoramos seus alertas e decidimos "pagar pra ver" e acabamos pagando caro, às vezes caro demais.

Acho incrível como alguns versículos da Bíblia podem passar desapercebidos pela maioria de nós se não estivermos dispostos a procurar pérolas e não apenas caminhar pela superfície. É exatamente o que acontece com Mateus 27.19 “E, estando ele (Pilatos) assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse justo, porque num sonho muito sofri por causa dele.” Na maioria das vezes que lemos esta passagem passamos rapidamente por ela e não paramos para analisar as pérolas que podemos colher deste trecho.

Lemos a descrição de um momento único registrado sobre a esposa de Pilatos - nenhum dos outros Evangelhos cita esse trecho - um momento crucial que poderia ter feito com que Pilatos realmente não se envolvesse na condenação de Jesus.

Pilatos tinha consciência da inocência de Cristo, sabia que a lei romana assegurava que um homem inocente não deveria ser condenado a morte e o próprio Deus dá a sua esposa um sonho e ela o alerta da questão. E o que ele faz? Ignora tudo isso e prefere ceder a conveniências políticas.

Quantos de nós, maridos e esposas, somos alertados por nossos cônjuges sobre certas pessoas, sobre não nos envolvermos em certos negócios ou mesmo atender a determinados convites. E o que fazemos? Ignoramos tal qual Pilatos ignorou o conselho de sua esposa.

E o mais interessante é saber que esses alertas vindos dos nossos cônjuges muitas vezes são uma confirmação do desconforto que já estávamos sentindo sobre alguma decisão e mesmo assim não gastamos tempo analisando e considerando a opinião do nosso cônjuge.

Então hoje, quero te fazer um convite: decida não mais ignorar quando receber uma opinião do seu cônjuge acerca de alguma situação em sua vida. Ouça a advertência. Podere. Consulte a Deus e assim certamente seremos poupados de muitas dores de cabeça ao longo de nossa caminhada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.