sábado, 11 de fevereiro de 2012

CASAMENTO E FINANÇAS


Um dos pontos mais sensíveis em alguns casamentos encontra-se na administração das finanças do casal.Cada um vem com uma bagagem sobre administração financeira adquirida por seus pais e na maneira como resolvia as questões no tempo de solteiro.Entretanto ao se depararem com a nova realidade destas questões na vida de casados poucos sabem como fazê-lo o que tem levado muitos casais a sala de aconselhamento conjugal e outros tantos a separação.
A melhor saída para resolvermos conflitos na área financeira é o diálogo sincero e a ação para um melhor gerenciamento das finanças do casal.Pensando nisto fornecemos algumas dicas sobre como fazer um orçamento conjugal.As dicas abaixo foram extraídas da internet sem a fonte do autor.
COMO FAZER UM ORÇAMENTO?

O bom senso diz que:

a. O orçamento prático e flexível deve ser baseado não em regras mas em princípios.
b. O orçamento não deve dar motivos para prejudicar a alegria do lar e do viver.
c. Com o orçamento, uma hierarquia de valores se apresenta:

o Artigos de absoluta necessidade (imprescindíveis)
o Artigos de necessidade (úteis a status profissional ou social justo da família)
o Necessidades convencionais (outros artigos)

Algumas despesas podem aparecer em alguns períodos durante o ano, levando a família a gastar mais do que o previsto. Contrabalançar nos meses seguintes é a solução para que a família se mantenha dentro do planejamento.

Em um orçamento, três coisas devem ser feitas:

1. Determinar os rendimentos
2. Determinar as despesas
3. Manter a contabilidade

As despesas de uma família podem ser classificadas em:

- Fixas – aluguel, alimento, contas (água, luz, gás, telefone), transporte, empregada, etc.

- Variáveis – vestuários, remédios, diversões, consertos, utilidades para o lar, etc.

- Extras – viagens e férias.

- Fundos de emergência: economias para médicos, dentistas, previdência social, etc.

VOCÊ PODE ALCANÇAR INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA SE:

1. Você buscar o reino de Deus em primeiro lugar.
2. Você se educar em assuntos financeiros.
3. Você souber a diferença entre necessidade e vontade. Necessito disto realmente ou isto é um mero desejo.
4. Você adotar comprar à vista sempre que for possível.
5. Você se livrar das dívidas sem demora.
6. Você se preparar para as quedas e imprevistos.
7. Você buscar razões para as diminuições das entradas.
8. Você tiver cuidado ao ser solicitado para ser fiador de alguma pessoa.
9. Você estabelecer um sistema próprio de valor.Lembre-se: seu nome, sua família, uma consciência limpa, paz de espírito, segurança, são coisas que o dinheiro não pode comprar. Por isso, não faça do dinheiro um deus em sua vida.
10. Você cuidar para não comprar coisas que logo depreciam.
11. Você cuidar ao emprestar dinheiro. É melhor dar para as necessidades básicas do que emprestar dinheiro a alguém que deve.
12. Você desenvolver habilidades para manutenção de sua casa.
13. Você não perder o controle por estar passando por momentos difíceis ou por falta de recursos.
14. Você não colocar Deus de escanteio em sua vida. Dê oportunidade para o Senhor suprir suas necessidades.

Lembre-se, planejar inteligentemente os recursos disponíveis é obrigação primordial dos esposos, já que está em jogo sua própria sobrevivência, segurança e felicidade familiar.

Deus vos abençoe! - 
Por Charles e Susi Lins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.