terça-feira, 18 de janeiro de 2011

COMO MUDAR O QUE MAIS IRRITA NO CASAMENTO



Quem não gostaria de mudar alguma coisa no relacionamento que irrita profundamente?Então não deixede ler o livro de Gary Chapman:"Como mudar o que mais irrita no casamento".

E para deixar um gostinho do livro segue uma lista que relata alguns desses aspectos que você realmente gostaria de ver mudança.

Mudanças que eu gostaria de ver em minha esposa.


Não se irritasse tanto com nossos filhos.

Falasse mais sobre seus sonhos e medos.

Passasse trinta minutos por dia conversando comigo.

Mantivesse a escrivaninha organizada.

Não fizesse faxina e limpeza quando eu estivesse em casa.

Fosse mais segura quanto à aparência e estivesse disposta a usar uma roupa mais "sexy" de vez em quando.

Parasse de falar do passado.

Parasse de tentar controlar meus pensamentos e minhas ati¬vidades, ditando-me ordens.

Não se preocupasse tanto.

Não agisse como se fosse minha mãe (lembrando-me, por exemplo, de escovar os dentes).

Visse o que é positivo em vez de olhar apenas o negativo.

Respondesse às minhas perguntas com uma frase afirmati¬va ou negativa, e não com outra pergunta.

Expressasse com palavras sua admiração por mim.

Expressasse com palavras que se sente atraída por mim.

Lavasse e limpasse o carro toda semana.

Conversasse comigo.

Arrumasse a bagunça que faz.

Começasse a se aprontar mais cedo para chegarmos pon¬tualmente aos compromissos.

Descansasse e aproveitasse a vida um pouco mais (assistisse à televisão comigo, por exemplo).

Tomasse a iniciativa de ter sexo quando estivesse a fim, pois estou quase sempre a fim.

Parasse de me criticar diante de nossos filhos.

Guardasse suas roupas, em vez de deixá-las jogadas no chão.

Não fosse tão crítica.

Mantivesse o carro mais limpo.

Freqüentasse uma academia de ginástica e entrasse em forma.

Aprendesse a dormir com a luz acesa para que eu pudesse ler.

Tivesse mais consciência dos problemas de saúde relaciona¬dos a seu peso.

Acabasse com parte da tralha que acumulamos em casa.

Realizasse as tarefas da casa de maneira mais sistemática.

Tivesse disposição de ajudar-me a ensinar aos filhos o valor do trabalho.

Permitisse que eu cozinhe com mais freqüência.

Não ficasse irritada o tempo todo, mas fosse mais paciente comigo e com as pessoas.

Tivesse mais desejo sexual.



Controlasse melhor os animais de estimação.

Perseverasse em suas metas, apesar das dificuldades.

Fosse mais gentil ao falar comigo e a respeito das pessoas.

Permitisse expressar minhas opiniões, mesmo não concor¬dando comigo.

Não questionasse minhas decisões em áreas que não são a especialidade dela, como a compra de pneus para o carro, por exemplo.

Tivesse mais intimidade comigo na cama.

Elogiasse meu trabalho e me dirigisse palavras positivas todos os dias.

Parasse de me rebaixar.

Não tivesse uma atitude tão crítica e superior em relação a mim e me desse mais apoio.

Não exigisse tanto de si mesma, em casa, no trabalho, na igreja.

Não me interrompesse quando discutimos um assunto.

Desenvolvesse o hábito de me beijar todas as manhãs quan¬do saio para o trabalho.

Aprendesse a discutir questões difíceis sem se pôr na defensi¬va e sem interpretar meus comentários como críticas pessoais.

Massageasse minhas costas três vezes por semana.

Fosse a um café comigo.

Não pegasse no sono enquanto estou falando com ela.

Tivesse mais tranqüilidade em deixar alguém tomar conta das crianças para podermos sair e nos divertir juntos.



Mudanças que eu gostaria de ver em meu marido

Conversasse comigo todas as noites por dez minutos.

Limpasse a garagem e a mantivesse em ordem.

Saísse para caminhar comigo todas as noites.

Assistisse menos ao canal de esportes.

Não acelerasse o carro de 0 a 100 km/h em 8 segundos quando está irritado.

Tivesse disposição de me ajudar com o banho dos filhos.

Conseguisse aceitar algumas de minhas sugestões. Ele é mui¬to sensível a qualquer comentário de minha parte que não seja totalmente positivo.

Não pegasse no sono enquanto estou falando.

Tivesse a iniciativa de me convidar para sair com ele uma ou duas vezes por mês.

Parasse de fumar.

Parasse e me desse total atenção (deixasse o jornal, palavras cruzadas, etc.) quando estou tentando falar com ele. 

Não procrastinasse. Seu lema é "amanhã eu faço". 

Expressasse quanto gosta de mim e daquilo que faço. Brincasse mais com as crianças.

Parasse de empilhar papéis na mesa ou os organizasse com freqüência.

Criticasse menos meu trabalho em casa. 

Parasse de espalhar coisas por toda casa, deixando uma tri¬lha de bagunça por onde passa. 

Pensasse mais naquilo que é importante para mim. 

Gastasse nosso dinheiro com mais moderação e planejasse comigo um modo de pagar as dívidas. 

Ajudasse a arrumar a bagunça na casa, em vez de me mos¬trar a necessidade de fazê-lo.

Dedicasse dez minutos por dia para lermos a Bíblia e orar¬mos juntos.

Perguntasse como ele pode ajudar no serviço da casa.

Permitisse que eu expresse meus sentimentos sem reagir com raiva.

Fosse mais gentil ao falar comigo.

Desligasse a TV e conversasse comigo por alguns minutos.

Fizesse exercícios comigo e tentasse entrar em forma.

Limpasse o pára-brisa e as janelas do carro.

Parasse de assoar o nariz durante as refeições.

Conversasse comigo antes de tomar decisões. Gostaria de ser sua parceira e formar uma equipe.

Guardasse os sapatos dele no armário.

Fosse para a cama comigo para que pudéssemos conversar e fazer amor.

Demonstrasse esforço em falar corretamente. Ele costuma usar tempos verbais incorretos, algo que o faz parecer igno¬rante quando, na verdade, é extremamente inteligente.

Aprendesse a ter boas maneiras à mesa.

Respeitasse minha necessidade de ter um pouco de tempo para ficar sozinha. Ele é maravilhoso e prestativo, mas pre¬ciso de um pouco de privacidade.

Elogiasse aquilo que faço e minha aparência; me encorajasse.

Guardasse as coisas quando termina de fazer algo na casa.

Parasse de superproteger as filhas (de 18 e 20 anos). Elas precisam enfrentar as conseqüências de suas escolhas.

Dedicasse a mim o mesmo tempo, a mesma energia, o mes¬mo amor e a mesma devoção que dedica ao trabalho e aos exercícios físicos. No fim do dia, tenho a impressão de que fico apenas com as sobras.

Colocasse o braço em minha cintura e segurasse minha mão quando andamos juntos.

Tivesse a iniciativa de me convidar para sair com mais fre¬qüência.

Cortasse a grama do jardim antes de parecer uma selva.

Deixasse de dizer palavrões quando fica com raiva.

Dedicasse tempo a Deus, a mim e a nossos filhos.

Viesse a mim, me abraçasse e me tocasse, mesmo que não terminasse em sexo.

Assumisse a responsabilidade de lidar com as finanças.

Encontrasse bons amigos ou atividades que lhe dessem algum tempo de lazer longe de mim. Dessa maneira, eu poderia passar tempo com minhas amigas sem me sentir culpada.

Ganhasse o suficiente para eu não precisar trabalhar tempo integral.

Olhasse em meus olhos atentamente e conversasse comigo por mais de cinco minutos.

Tomasse meu partido ou me defendesse diante dos pais dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você pensa é importante para nós. Deixe aqui seu comentário.